Sábado, 30 de Outubro de 2010

Se amanhã o tempo continuar assim, eu não vou à latada.

Ainda agora acabei de curar uma otite das grandes, não queria nada ficar doente outra vez...



publicado por Petit Mimi às 20:29 | link do post | comentar | ver comentários (5)

Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010


tags:

publicado por Petit Mimi às 23:46 | link do post | comentar | ver comentários (6)

Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

Desculpem se tenho andado fugida do blog ultimamente. Mas ando a gozar da minha condição de caloira em todas as actividades que aparecem, e a verdade é que não vai sobrando muito tempo.

Segunda feira volta tudo ao normal :)


tags:

publicado por Petit Mimi às 13:06 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010

Era tão bom que pudéssemos apagar os erros que cometemos pela vida fora com a mesma facilidade com que apagámos um blog.



publicado por Petit Mimi às 12:11 | link do post | comentar | ver comentários (5)

Domingo, 24 de Outubro de 2010

Eu sei que provavelmente sou uma pessoa má. Aliás, eu de certeza que sou uma pessoa má.

Mas a mim, ninguém me tira da cabeça que aquela gente que coloca a vida toda - desde a cor das unhas, às 387 fotos do aniversário, a maior parte delas repetidas ou/e aborrecidas, no facebook - merece ser gozada à força toda.

Pronto, eu tenho facebook. Eu (às vezes) até comento os estados do meus amigos e coloco videoclips no mural, dos Beetles, já agora. Ah, e já me deixei do farmville e afins, aquilo enjoa ao fim de tipo... Três dias. Enfim, tenho facebook. Mas dái até expor a minha vida toda vai um longoooo caminho.

É que parece-me que as pessoas não têm bem noção que mais ninguém está interessado em saber que querem pintar o cabelo de preto, ou se foram ao dentista, ou se o carro não pegava de manhã. Não interessa, ponto final. Mas tem piada. Ver as figuras tristes. Ver as fotos privadas. Ver as mensagens melosas. Ver os comentários dos amigos "Ei, taxe bem?". Tem piada e eu, que estou de cama desde sexta, tenho-me divertido muito a ver o que é que os meus "amigos" fizeram no fim-de-semana. Houve alguém que fez anos, e colocou fotos do evento: o namorado com esparguete a sair-lhe pelas narinas, os amigos podres de bêbados, os presentes da Parfois. Outra pessoa mudou de casa, e aparentemente está a ser uma confusão, com maçanetas perdidas e um forto odor a tinta. E a minha prima começou a namorar, olha que bem, saber disto por uma rede social.

Enfim. Não sou melhor que eles, mas pelo menos não faço publicidade aos meus defeitos no facebook. Porque deve haver muita gente como eu, com um bocadinho de bom senso, pronta a gozar com estas situações tão fofas.


tags: , ,

publicado por Petit Mimi às 19:36 | link do post | comentar | ver comentários (5)

Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

 

Neste fim-de-semana só te quero a ti, à manta verde quentinha, e uma grande taça de pipocas.

E vamos ver o Wall-e, que é dos filmes mais bonitos que a Disney já fez.


tags: ,

publicado por Petit Mimi às 22:31 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Sábado, 16 de Outubro de 2010

Hoje, ao abrir o facebook, deparo-me com uma actualização de um dos meus "amigos": o tipo publicou uma foto dele a segurar uma nota de 500, de 200 e de 100 euros, com a seguinte legenda: "Para os que pensavam que eu era pobre".

É oficial. Atingimos o limiar da estupidez.


tags:

publicado por Petit Mimi às 12:33 | link do post | comentar | ver comentários (10)

Quarta-feira, 13 de Outubro de 2010

 

Preciso tanto de uma cama fofinha...


tags:

publicado por Petit Mimi às 18:03 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Terça-feira, 12 de Outubro de 2010

Incompatibilidade de feitios, acham que existe?


tags:

publicado por Petit Mimi às 21:40 | link do post | comentar | ver comentários (11)

Segunda-feira, 11 de Outubro de 2010

Acho que não vos contei que passei no exame de código. Momento para celebrar: Yay!

Agora estou a ter aulas de código. Não percebo porque é que nunca me disseram que controlar a embraiagem era tão difícil. Sacanas! Para já, o meu recorde é só deixar o carro ir abaixo 3 vezes numa hora. Já esteve pior.

Ontem fui buscar o rapaz a casa. Pronto, o meu pai ia ao lado, mão pronta a puxar do travão de estacionamento. Não contem a ninguém que já ando a conduzir à socapa pelas ruas daqui da terra. Mas estava eu a dizer, fui buscar o rapaz a casa. Acreditam que ele estava a tremer, a tremer de verdade, quando saiu do carro?

E é isto. Acho que vou apanhar um trauma tão grande que os únicos carros que irei conduzir serão os de choque.


tags: ,

publicado por Petit Mimi às 22:03 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Domingo, 10 de Outubro de 2010

O R. veio cá a casa hoje de tarde e não lhe dei de lanchar. Esqueci-me.



publicado por Petit Mimi às 23:11 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quarta-feira, 6 de Outubro de 2010

 

Eu nunca te disse, mas tenho de te confessar. Faz-me sentir infantil quando prometemos que será "para sempre". Porque prometer a eternidade parece coisa de criança, parece coisa de filmes de princesas e dragões, parece coisa que ultrapassa a realidade.

Os adultos - esses, de quem o Princepezinho não gostava nada, e com quem eu também não me consigo identificar - os adultos não fazem promessas dessas. Talvez fizessem, antigamente, mas aprederam que a vida é dura, e incerta, e deixaram-se de promessas românticas. Deixaram de acreditar, porque faz muito mais sentido ser-se livre, não pertencer a ninguém, não arriscar. É que, sabes, quem não arrisca também não sofre. E os adultos têm tanto medo de sofrer!

Por isso, quando me dizes que havemos de ficar juntos para sempre, eu sinto-me infantil. Sinto que estou a sonhar. Aos 18 anos ninguém faz promessas para a vida. Em que raio estamos nós a pensar, rapaz? O "para sempre" demora muito tempo, requer muitos sacrifícios, obriga a engolir muitos sapos. Era mais fácil não prometer nada, e quando deixar de dar, olha, adeus até um dia, foi giro, vai lá para uma discoteca qualquer arranjar outra gaja que eu faço o mesmo.

Mas não, nada disso. Tu dizes e eu acredito em ti. Para sempre. E essa ceretza, que eu tanto quero alcançar, faz-me sentir vulnerável, nunca ninguém vai acreditar, nunca ninguém vai valorizar que nós, 18 anos acabados de fazer, estejamos já a pensar no futuro. Vão chamar-nos tolos, vão dizer que não sabemos nada de amor, vão rir-se de nós. Os adultos riem-se de quem é mais corajoso que eles.

As crianças é que fazem promessas dessas. E, por vezes, nem elas as conseguem cumprir... Como esperas tu que nós consigamos?

Mas tu dás-me a mão, e sussurras "para sempre". E eu posso não perceber nada da vida. Posso nunca ter sentido a sua verdadeira dureza, posso ter tido a sorte de nascer sob estas circunstâncias. Eu posso ser realmente ingénua, como uma criança. Mas se ser criança - sentir, amar como uma criança - é o necessário para ficarmos juntos, eu aceito.

Porque ainda há muito que eu não sei, mas quero aprendê-lo ao teu lado. E mostrar-lhes que estão enganados.


tags: , , ,

publicado por Petit Mimi às 19:43 | link do post | comentar | ver comentários (8)

Sábado, 2 de Outubro de 2010

 

A faculdade é um mundo novo. É quando estou sentada num auditório com mais duzentas pessoas à minha volta que dou conta que os tempos felizes do secundário já lá vão. Ah, o secundário, onde a vida era fácil e bela: ficava a 10 minutos de casa, conhecíamos o nome de todos os prefessores, sabíamos de quais empregadas devíamos fugir, qual o melhor método para ter boas notas nos testes, quais os recantos mais escondidos para passar os intervalos...

Agora é tudo novo e assustador. Professores que dão aulas semelhantes a conferências. Centenas de páginas de leituras obrigatórias. Outra centena de leituras complementares. Alunos mais velhos, trajados, cuja capa é ao mesmo tempo fasninante e intimidante. Corredores labirínticos. Uma biblioteca sem fim.

Mas devagarinho lá vamos. Esta semana mal tive tempo de respirar, entre a praxe e as aulas. A praxe, senhores, a praxe! O que eu já rebolei pelo chão, o que eu já berrei, as asneiras que já aprendi! Estou a gostar muito, a divertir-me muito, a tentar aproveitar a vida académica ao máximo. E nunca meti conversa com tantos desconhecidos como agora (pois, se não quero almoçar sozinha, não há alternativa...).

Espero não me arrepender na escolha de curso, espero fazer muitos amigos, espero que corra tudo pelo melhor. Nunca me senti tão adulta como agora.


tags:

publicado por Petit Mimi às 12:32 | link do post | comentar | ver comentários (7)

mais sobre mim
arquivos

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010