Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

A Lily faz 20 anos hoje. 20 certinhos, quatro mãos cheias.

É engraçado como as coisas mudam. Éramos as melhores amigas do mundo, inseparáveis, cheias de confissões uma da outra e milhares de cartas escritas quando as palavras escasseavam. A Lily compreendia-me, e eu gostava dela, pequenina e desajeitada, aquelas olheiras gigantescas e aquele sorriso espontâneo.

Mas depois o tempo passou. A Lily afastou-se. A Lily deixou de confiar em mim como antes. Deixou de me enviar cartas. Deixou de vir aos jantares e às festas. E ainda se zangava comigo, por não compreender. Mas compreender o quê? Que não lutaste por esta amizade? Que te deixaste levar? Que és incapaz de fazer um esforço quando eu fui fazendo tantos?

Às vezes tenho saudades dela, da forma como me pedia para lhe dar a mão para atravessar a rua. A Lily era uma das minhas melhores amigas, e hoje parecemos estranhas.

Antes julgávamos que ia durar para sempre. Porque não? Éramos tão semelhantes... Ambas queríamos tudo, tudo: viagens, paixões, histórias e sorrisos. Ser mulheres sofisticadas e corajosas e independentes e felizes. Depois fomos crescendo. Eu lá vou lutando. A Lily tem medo. Ambas queríamos ser amigas para sempre.

Mas há coisas que se perdem pelo caminho.


tags:

publicado por Petit Mimi às 15:40 | link do post | comentar

2 comentários:
De marisa duarte a 5 de Agosto de 2010 às 10:51
pois é, há coisas que se perdem pelo caminho, mesmo que nós lutemos para que isso não aconteça. Queremos amizades para o resto da vida e por vezes não é o que acontece...


De Denz a 10 de Setembro de 2010 às 22:54
Dá-me vontade de chorar pensar que é assim que algumas das minhas amizades podem acabar. Pensar que aquela que agora considero a minha melhor amiga um dia possa desaparecer assim. Não quero sequer considerar essa hipótese Não quero que ela seja a minha Lily "..


Comentar post

mais sobre mim
arquivos

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010