Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

 

Parece que o que está na moda são amores impossíveis. Amores difíceis, amores cheios de drama. Parece que hoje em dia, só têm realmente interesse aqueles amores que dariam um filme, pois claro, dariam um filme por tão complicados que são, que já nenhum realizador de Hollywood quer fazer filmes sobre amores banais.

Estão na moda é amores por homens mais velhos, amores à distância, amores homosexuais, amores proibidos, amores à primeira vista. São sobre estes que mais se escreve, são estes que andam na boca de toda a gente, são estes que ocupam o imaginário de meninas a entrar na adolescência. Os outros amores, os simples e desafogados, os que existem sem grandes precalços e aventuras, esses parecem esquecidos, adormecidos na banalidade que os representa.

 

No entanto, não é com pena que digo que o nosso amor pertence a esse grupo. Não, não temos uma história de amor cheia de tramas. Não, não foi amor à primeira vista. Nem à segunda, nem à terceira. Não, nunca fomos proibidos pela família. No fundo, temos uma história simples, igual à de tantos casais por aí.

Não passamos de dois putos que se conheceram muitos anos antes, e que nunca, por momento algum, pensaram apaixonar-se um pelo outro. Duas crianças a despontar, que nunca atravessaram a ténue linha entre a amizade e o amor. Eu tinha os meus interesses, tu os teus. Eu tive as minhas paixões, tu tiveste as tuas. E foi por acaso - sim, por mero acaso - que nos voltamos a encontrar, a falar, e a perceber que talvez valesse a pena arriscar. Atravessar para o outro lado da linha.

Já lá vai mais de um ano. Hoje, tu és parte daquilo que sou, e eu gosto de acreditar que será assim para sempre. Não sei se vai ser, mas espero que sim. Há dias difíceis, nem sempre é fácil superar os obstáculos. Mas, no geral, temos uma relação a que muitos chamariam "monótona". Nunca precisei de fugir de casa às escondidas para estarmos juntos, os meus pais sempre gostaram de ti, somos da mesma idade, nunca tive um ex-namorado psicótico que me ameaçasse ... A verdade é que não sonho mais com amores impossíveis, porque a tranquilidade que tu me dás supera bem qualquer drama romântico desses que estão na moda.

O nosso amor banal faz-nos felizes. A pior parte, amorzinho, é que provavelmente Hollywood nunca vai realizar um filme sobre nós.


tags:

publicado por Petit Mimi às 11:05 | link do post | comentar

2 comentários:
De advogada do diabo a 2 de Setembro de 2010 às 11:52
Fantástico. Mais vale ser um amor verdadeiro que um amor "falso", que apenas se sustente em fantasias.


De Sofia a 5 de Setembro de 2010 às 15:10
Sublinho tudo o que disseste.
Beijinho


Comentar post

mais sobre mim
arquivos

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010